futuro

Serviço Social

OBJETIVO DO CURSO

O Curso de Bacharelado em Serviço Social preza por uma formação profissional teórico-prática, humanista e com visão global da vida social. Pretende contribuir para a defesa e garantia de direitos sociais, visando à construção de uma sociedade mais justa e igualitária que possibilite a emancipação dos sujeitos por meio do acesso universal às políticas públicas.

O corpo discente será constantemente estimulado à efetiva participação na vida acadêmica por meio de diferentes atividades de aproximação com a realidade social.

  1. PRINCÍPIOS E DIRETRIZES DO PROJETO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

Este projeto pedagógico prioriza uma formação profissional que contempla os conteúdos essenciais, as habilidades e as competências necessárias ao assistente social, de modo à instrumentalizá-lo para compreensão da totalidade da realidade social e para as diferentes intervenções, seja nos aspectos micro ou macro institucionais.

  1. O Projeto Pedagógico do Curso de Serviço Social da FAAM pauta-se nos seguintes princípios:
  • Exercício do pluralismo como elemento próprio da vida acadêmica e profissional;
  • Formação baseada em um rigoroso trato teórico, histórico e metodológico da realidade social e do Serviço Social;
  • Sensibilidade às questões emergentes do ensino e do entorno social, em especial, a realidade amazônica;
  • Compreensão da ética como princípio que perpassa toda a formação profissional;
  • Reconhecimento de que o aprendizado se constitui como um processo dinâmico, apto a acolher a motivação do sujeito e que contemple o desenvolvimento do próprio estilo profissional;
  • Articulação entre o ensino, a pesquisa e extensão.

  1. DIRETRIZES PEDAGÓGICAS DO CURSO:

  • Formação do Assistente Social como resultado da correlação entre conteúdos, competências e habilidades adquiridas e/ou desenvolvidos durante o curso;
  • Proposta pedagógica focada no discente como sujeito da aprendizagem e apoiada no docente como facilitador e mediador do processo ensino-aprendizagem;
  • Matriz curricular que possibilite ao discente a formação científica; a reflexão e raciocínio críticos; a interdisciplinaridade e o domínio dos conhecimentos necessários ao desenvolvimento de competências e habilidades fundamentais à atuação profissional, principalmente em relação à investigação e análise da realidade social amazônica, bem como, a intervenção propositiva e crítica em face das expressões contemporâneas da “questão social”;
  • Práticas investigativas e extensionistas associadas ao desenvolvimento dos conteúdos programáticos das disciplinas que privilegiem a participação crítica e comprometida do discente que garanta a articulação entre ensino, investigação científica, extensão e assistência em Serviço Social.

  1. OBJETIVOS DO CURSO

  1. OBJETIVO GERAL:

Formar Assistentes Sociais capazes de compreender o significado sócio-histórico da profissão nela se inserindo de modo a responder, de forma propositiva, crítica e qualificada e em consonância com a Lei de Regulamentação da Profissão (Lei Nº 8.662/93) e com o Código de Ética do Assistente Social (Resolução CFESS – 273/93), às demandas sociais, principalmente àquelas relacionadas a Amazônia,que se apresentam no cotidiano do exercício profissional, visando contribuir para o desenvolvimento regional e para a emancipação dos sujeitos.

  1. OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
  • Desenvolver atividades complementares, extra-classe, tendo sempre o pluralismo metodológico, a interdisciplinaridade de ações transformadoras;
  • Demonstrar os novos paradigmas teórico-metodológicos e ético-políticos que caracterizam o ser social enquanto totalidade histórica, fornecendo elementos básicos fundamentais à compreensão da sociedade contemporânea e suas contradições;
  • Caracterizar as particularidades sócio-econômicas e culturais presentes na formação e desenvolvimento urbano e rural, em suas diversidades regionais e locais brasileiras;
  • Evidenciar o caráter contraditório do significado do Serviço Social, no conjunto das relações entre as classes sociais e destas com o Estado, incorporando no processo as dinâmicas institucionais nas esferas estatal e privada;
  • Analisar os diferentes níveis de apreensão da realidade social e profissional, tendo como eixo fundante da profissão o enfrentamento das expressões da “questão social” em suas múltiplas manifestações;
  • Oportunizar aos discentes, por meio do estágio supervisionado, uma experiência de enriquecimento da formação profissional do acadêmico em Serviço Social, através da aplicabilidade da teoria à prática, a partir do estudo de uma realidade social concreta.
  •  Organizar e implementar planos, programas e projetos desenvolvidos junto a órgãos da administração pública, direta e indireta, s, entidades e organizações da sociedade civil, que favoreçam a luta pela cidadania e a democratização da sociedade brasileira;
  1. PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO

Formar profissionais com formação generalista, autonomia intelectual e capacidade de construir argumentos e críticas, propondo ações em sua área de atuação com domínio teórico-metodológico e técnico-operativo, reafirmando o compromisso e posicionamento ético-político na defesa de direitos.

Egresso comprometido com os valores e princípios do Código de Ética do Assistente Social, com capacidade crítica, inovadora e com competência para formular e implementar políticas de intervenção social frente às mazelas sociais, em especial, as prevalecentes no cotidiano amazônico, na perspectiva do fortalecimento das lutas sociais, contribuindo para a emancipação humana.

Dessa forma, o profissional deve ter capacidade de:

1. Elaborar, implementar, assessorar, coordenar e executar políticas sociais nas áreas de saúde, assistência e previdência, educação, habitação, crianças, adolescentes, idosos e outros;

2. Elaborar, coordenar, executar e avaliar programas e projetos na área;

3. Encaminhar providências e prestar orientação social a pessoas, grupos e à população em geral;

4. Orientar os cidadãos dos diferentes segmentos sociais sobre os programas sociais disponíveis e democratizar o acesso a esses programas;

5. Planejar, executar e avaliar pesquisas para o conhecimento da realidade social a fim de subsidiar as ações profissionais;

6. Realizar estudos sócio-econômico com os usuários para fins de benefícios e serviços sociais junto a órgãos da administração pública, privada e outras entidades.

7. Realizar vistorias, perícias técnicas, laudos periciais, informações e pareceres sobre matéria de Serviço Social;

8. Prestar assessoria e consultoria aos órgãos da administração pública, empresas privadas e entidades, em matéria de Serviço Social;

9. Planejar, organizar e administrar programas e projetos em unidades de Serviço Social.

  1. COMPETÊNCIAS E HABILIDADES

As competências e habilidades que são requeridas ao profissional de Serviço Social em face às novas configurações do mundo do trabalho, presentes nas novas diretrizes curriculares, têm como base a Lei n. 8.662 de 07 de junho de 1993 que regulamenta a profissão, a qual discorre sobre o profissional como sendo capaz de executar políticas sociais em órgãos de administração pública, empresas e organizações da sociedade civil; elaborar, executar e avaliar planos, programas e projetos na área social; contribuir para a participação dos usuários nas decisões institucionais; planejar, organizar, administrar benefícios e serviços sociais, realizar pesquisas que subsidiem formulação de políticas sociais.

A formação profissional deve possibilitar a capacitação teórico-metodológica e ético-política, como requisito fundamental para o exercício de atividades técnico-operativas, com vistas á:

a) apreensão crítica dos processos sociais numa perspectiva de totalidade;

b) análise do movimento histórico da sociedade brasileira, apreendendo as particularidades do desenvolvimento do capitalismo no país;

c) compreensão do significado social da profissão e de seu desenvolvimento sócio-histórico, nos cenários internacional e nacional, desvelando as possibilidades de ação contidas na realidade;

d) identificação das demandas presentes na sociedade, visando a formular respostas profissionais para o enfrentamento da questão social, considerando as novas articulações entre o público e o privado.

Como Competências e Habilidades Específicas a formação profissional deve ser capaz de subsidiar o(a) profissional a:

a) formular e executar políticas sociais em órgãos da administração pública, empresas e organizações da sociedade civil;

b) elaborar, executar e avaliar planos, programas e projetos na área social;

c) contribuir para viabilizar a participação dos usuários nas decisões institucionais;

d) planejar, organizar e administrar benefícios e serviços sociais;

e) realizar pesquisas que subsidiem formulação de políticas e ações profissionais;

f) prestar assessoria e consultoria a órgãos da administração pública, empresas privadas e movimentos sociais em matéria relacionada às políticas sociais e à garantia dos direitos civis, políticos e sociais da coletividade;

g) orientar a população na identificação de recursos para atendimento e defesa de seus direitos;

h) realizar visitas, perícias técnicas, laudos, informações e pareceres sobre matéria de Serviço Social;

i) realizar estudos sócio-econômicos para identificação de demandas e necessidades sociais;

j) exercer funções de direção em organizações públicas e privadas na área de Serviço Social;

k) supervisionar diretamente estagiários de Serviço Social.

Registra-se ainda que o profissional de Serviço Social, conforme a Lei Nº 8.662, de 7 de junho de 1993, deverá ter capacidade técnico-operativas para:

a) assumir o magistério de Serviço Social e coordenar cursos e unidades de ensino;

b) estabelecer as dimensões investigativa e interpretativa como princípios formativos e condição central da formação profissional e da relação teoria e realidade;

c) propor a interdisciplinaridade como elemento fundante no projeto de formação profissional, do Assistente Social;

d) exercitar a indissociabilidade das dimensões de ensino, pesquisa e extensão;

e) estabelecer o exercício do pluralismo como elemento próprio da vida acadêmica e profissional, impondo o necessário debate sobre as várias tendências teóricas que compõem a produção das ciências humanas e sociais;

f) compreender a ética como princípio que perpassa toda a formação profissional;

g) defender a indissociabilidade entre a supervisão acadêmica e formação profissional na atividade de estágio.

                                                                                                                                                

  1. MATRIZ CURRICULAR

O modelo de currículo é o integrado que prevê a articulação, de forma dinâmica, da teoria e prática, por meio da integração dos conteúdos e abordagem de temas transversais como ética, cidadania, solidariedade, justiça social, inclusão e exclusão social, ecologia, cultura e outros, tendo como eixo estruturante os objetivos, o perfil do egresso e as competências gerais e específicas apresentados neste Projeto Pedagógico. Esta modalidade curricular requer a adoção da metodologia ativa e da problematização, do método ação-reflexão-ação e da abordagem interdisciplinar.

Estes elementos curriculares estão coerentes com a concepção que fundamenta a construção deste Projeto. Porém, registra-se que o alcance, na plenitude, do currículo integrado, da metodologia da problematização e da abordagem interdisciplinar requer trabalho acadêmico e administrativo do tipo processual, democrático e coletivo, visando desconstruir a cultura pedagógica ainda hegemônica nas Instituições de Educação Superior; montar as bases e definir as estratégias para a integração inicial possível e evoluir na construção da integração, problematização e interdisciplinaridade por meio de sucessivas aproximações com o ideal preconizado na literatura.

Neste contexto, este Projeto propõe o modelo de currículo que organiza atividades e experiências planejadas e orientadas de modo a possibilitar aos alunos a construção da trajetória de sua profissionalização, permitindo que os mesmos possam construir seu percurso de profissionalização com sólida formação geral, além de estimular práticas de estudos independentes com vistas à progressiva autonomia intelectual e profissional

MATRIZ CURRICULAR  
 
1º SEMESTRE CH  
Fundamentos de Filosofia 80  
Teorias Sociológicas 80  
Fundamentos do Serviço Social I 80  
Metodologia do Trabalho Científico 80  
Leitura e Produção de Texto 80  
TOTAL 400  
                     2º SEMESTRE  
Formação Econômica, Social e Política do Brasil e da Amazônia 80  
Antropologia Social 80  
Questão Social e Serviço Social I 80  
Fundamentos do Serviço Social II 80  
Estatística Aplicada ao Serviço Social 80  
TOTAL 400  
                     3º SEMESTRE  
Fundamentos do Serviço Social III 80  
Classes Sociais e Movimentos Sociais 80  
Política Social e Serviço Social I 80  
Fundamentos Psicológicos 80  
Questão Social e Serviço Social II 80  
TOTAL 400  
                      4º SEMESTRE  
Fundamentos do Serviço Social IV 80  
Direito e Legislação Social 40  
Economia Política 40  
Pesquisa em Serviço Social I 80  
Política Social e Serviço Social II 80  
Trabalho e Sociabilidade 80  
TOTAL 400  
                5º SEMESTRE                                 
Processo de Trabalho do Serviço Social I 80  
Pesquisa em Serviço Social II 80  
Ética, Direitos Humanos e Serviço Social 80  
Movimentos Sociais no Brasil e na Amazônia 80  
Política Social e Serviço Social III 80  
TOTAL 400  
6º SEMESTRE  
Processo de Trabalho do Serviço Social II 80  
Oficina Técnico-Operativa do Serviço Social 40  
Gestão, Administração e Planejamento em Serviço Social 80  
Elaboração e Gestão de Projetos Sociais 80  
Seminário Temático I 40  
Estágio Supervisionado I 140  
TOTAL 420  
7º SEMESTRE  
Análise de Indicadores Sociais 40  
Políticas Públicas e Serviço Social 80  
Identidades Culturais e Serviço Social no Brasil e na Amazônia 40  
Tópicos Especiais em Serviço Social I 80  
Seminário Temático II 40  
Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) I 40  
Estágio Supervisionado em Serviço Social II 120  
TOTAL 440  
8º SEMESTRE  
Seminários de Práticas 40  
Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) II 80  
Tópicos Especiais em Serviço Social II 40  
Seguridade Social 40  
Disciplina Optativa 40  
Estágio Supervisionado em Serviço Social III 160  
TOTAL                      400  
Atividades Complementares 160  
CARGA HORÁRIA TOTAL 3420  

OPTATIVA

Língua Brasileira de Sinais 40

Obs. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005 § 2o A Libras constituir-se-á em disciplina curricular optativa nos demais cursos de educação superior e na educação profissional, a partir de um ano da publicação deste Decreto.